Articulação Temporomandibular

 ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR – ATM

Generalidades da ATM

A ATM é uma articulação sinovial do tipo gínglimo, sendo considerada uma articulação singular no corpo humano.

As faces articulares envolvidas são:

  • o côndilo da mandíbula
  • o tubérculo articular do temporal
  • a fossa da mandíbula do osso temporal

ARTICULACIÓN TEMPO-MANDIBULAR

Além das duas articulações distintas, cada ATM possui um disco que a separa em duas outras articulações:  uma superior e outra inferior.

A presença do disco articular permite a ATM desenvolver movimentos únicos.

Disco Articular da ATM

A ATM de um lado não funciona sem a outra e todos os movimentos mandibulares envolvem ambas.

A ATM é governada pelos mesmos princípios ortopédicos das articulações sinoviais e pode apresentar patologias comuns a ela.

Enquanto a cartilagem hialina protege as superfícies articulares da maioria das articulações humanas, a ATM apresenta suas superfícies articulares revestidas por fibrocartilagem branca na qual as fibras colágenas predominam e as células de cartilagem são poucas.

A fibrocartilagem apresenta maior resistência e capacidade de reparo e regeneração do que a cartilagem hialina.

Cartilagem Hialina da ATM

Movimentos da ATM

Movimentos da ATM

Capsula Fibrosa

A ATM é recoberta em toda a sua extensão por uma cápsula fibrosa que se fixa na margem da área articular no temporal e em torno do colo da mandíbula.

Capsula Fibrosa

A cápsula e o disco estão aderidos entre si anterior e posteriormente, mas no medial e lateralmente.

Visto não haver inserções mediais ou laterais do disco e cápsula, pode ocorrer movimento de translação do disco no interior da cápsula.

A porção da cápsula acima do disco é bastante frouxa, enquanto que a porção da cápsula abaixo do disco retesada (tensa).

A cápsula é bastante delgada e frouxa em seus aspectos anterior, medial e posterior, mas o aspecto lateral é mais espesso e resistente, sendo reforçada pelo Ligamento Tempomandibular.

Ligamento Tempomandibular

A cápsula e altamente vascularizada e inervada, o que permite que esta estrutura proporcione uma grande quantidade de informações acerca de sua posição e movimento.

Membrana sinovial

A articulação possui duas membranas sinoviais.

Un membrana sinovial superior reveste a cápsula fibrosa acima do disco articular.

Un membrana sinovial inferior reveste a cápsula abaixo do disco

Membrana sinovial

Disco articular

É uma lâmina ovulada e fina situada entre o côndilo da mandíbula e a fossa mandibular. O disco é bicôncavo, ou seja, tanto sua superfície superior quanto a superfície inferior são côncavas.

Esta estruturação permite que a superfície convexa do côndilo e a superfície convexa da eminência articular permaneçam congruentes ao longo de todo o movimento possível da articulação.

Articulação Temporomandibular

Uma lâmina oval de tecido fibroso divide a articulação em dois compartimentos separados.

A face superior do disco é côncava para se ajustar ao tubérculo articular e a fossa mandibular.

A face inferior do disco é côncava para adaptar-se ao côndilo da mandíbula.

O disco está firmemente aderido aos pólos medial e lateral do côndilo da mandíbula, assegurando que o disco e o côndilo se movam juntos na protração e retração.

Componentes da Articulação Temporomandibular

Porém o disco não está fixado à cápsula articular lateralmente ou mediamente.

Anteriormente o disco está fixado à cápsula articular e as fibras da cabeça superior do músculo pterigoide lateral.

Coxim retrodiscal bilaminar

Posteriormente o disco tem inserções complexas que são coletivamente denominadas coxim retrodiscal bilaminar.

Disco Articular da ATM

Duas faixas estão aderidas posteriormente ao disco.

A faixa superior, também denominada estrato ou lâmina, compõe-se de fibras elásticas que lhe permitem algum estiramento. Essa faixa está inserida na margem posterior da fossa.

A lâmina inferior é inelástica, inserindo-se no colo do côndilo.

Articulação Temporomandibular

A lâmina superior permite que o disco translacione para frente, ao longo da tuberosidade articular durante a abertura da boca. Suas propriedades elásticas auxiliam na reposição do disco, em sua translação posterior, durante o fechamento da boca.

A lâmina inferior simplesmente serve como uma trava no disco, limitando a translação para a frente, mas não ajuda na reposição do disco durante o fechamento da boca.

Movimentos da ATM

Aspectos Macroscópicos do Disco Articular

  • Zona Posterior -3mm
  • Zona Média – 1 mm  (avascular e aneural)
  • Zona Anterior – 2mm

Aspectos Macroscópicos do Disco Articular

A ausência de vascularidade e inervação é consistente com a observação que a parte média é a superfície aceptora de forças do disco.

Este arranjo permite ao disco se adapte às superfícies ósseas com os quais se articula, e cria maior congruência das superfícies articulares

Limites do Disco Articular

  • Anterior – Cápsula e músculo pterigoideo lateral
  • Despues – Ligamento posterior
  • Lateral e Medial – Cápsula ou ligamentos colaterais

Limites do Disco Articular

Funções do Disco Articular

  • Permite a articulação das superfícies ósseas
  • Divisão da ATM em dois compartimentos
  •  Separa os movimentos de rotação e translação
  • Absorção de forças
  • Facilita a lubrificação da ATM

Articulações da ATM

O disco divide a articulação ATM em dois espaços articulares separados: SUPERIOR y INFERIOR.

A articulação superior é a maior das duas. Cada articulação tem seu próprio revestimento sinovial.

Articulações da ATM

Todas as superfícies das articulações, exceto as superfícies articulares, estão revestidas com uma membrana sinovial.

A nutrição da fibrocartilagem que reveste as superfícies articulares e a porção média do disco é proporcionada pelo fluido sinovial.

A pressão intermitente destas estruturas colagenosas durante o movimento das articulações faz com que o fluido seja bombeado para dentro e para fora das articulações, o que lhes proporciona nutrição.

ARTICULAÇÃO INFERIOR

A articulação inferior da ATM é uma articulação em gínglimo, formada pela superfície anterior do côndilo da mandíbula e a superfície inferior do disco.

O côndilo e o disco estão firmemente aderidos aos pólos medial e lateral do côndilo.

Estas inserções permitem uma rotação livre do disco  sobre o côndilo, ou do côndilo sob o disco.

O eixo desta rotação é uma linha que passa através de ambos os pólos do côndilo. A rotação do côndilo para a frente resulta numa relativa rotação posterior do disco.

As firmes inserções medial e lateral fazem com que o disco e o côndilo deslizem como uma unidades. Há mínima translação entre as duas estruturas.

Articulações da ATM

ARTICULAÇÃO SUPERIOR

A articulação superior  ATM é uma articulação deslizante ou anfiartrodial, formada pela eminência articular do osso temporal e pela superfície superior do disco.

Não há inserções diretas do disco ao osso temporal, portanto permitindo a translação do disco sobre o osso temporal.

A porção média do disco é a superfície articular discal, que translada para a frente com o côndilo durante a abertura da boca, para que seja mantido contato com a eminência articular.

Articulações da ATM

Ligamentos da ATM

  • Cápsula ou Ligamento Capsular
  • Ligamento Temporomandibular
  • Ligamento Estilomandibular
  • Ligamento Esfenomandibular

Ligamento Temporomandibular

El Ligamento TM é um ligamento resistente e serve como um reforço ligamentar da cápsula articular.

Se compõe de duas partes:

  • A porção obliqua externa
  • A porção interna

Ligamento Temporomandibular

A porção obliqua externa se insere ao colo do côndilo e à tuberosidade articular. Esta parte serve como um ligamento suspensório e limita o movimento mandibular para baixo e parar trás, bem como a rotação do côndilo durante a abertura da boca.

A porção interna do ligamento está aderida ao pólo lateral do côndilo e porção posterior do disco e tuberosidade articular. Suas fibras são quase horizontais e resistem aos movimentos posteriores do côndilo.

Isto serve para a proteção do coxim retrodiscal. Nenhuma destas faixas limita a translação para a frente do côndilo ou disco, mas efetivamente limita o deslocamento lateral.

Ligamento Temporomandibular

Ligamento Estilomandibular

É um feixe de fáscia cervical profunda, avançando desde o processo estiloide do osso temporal até a borda posterior do ramo da mandíbula.

Este ligamento insere-se entre os músculos masseter e pterigoide medial. Separa a glândula parótida da submandibular.

Sua função aparente controversa; alguns autores indicam que esta estrutura limita a protrusão da mandíbula, enquanto que outros afirmam que o ligamento não tem função.

Ligamento Estilomandibular

Ligamento Esfenomandibular

É uma faixa fina e achatada que localiza-se medial à cápsula. É um ligamento acessório, tem sua inserção entre o esfenoide e porção média dos ramos da mandíbula.

É o suporte primário passivo da mandíbula, embora o tônus dos músculos da mastigação normalmente suportam o peso da mandíbula.

Ligamento Esfenomandibular

Músculos de la ATM

Os músculos da articulação temporomandibular suas funções, inserções e suas descrições estão destacados no sistema muscular

ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR
 ARTICULACIÓN TEMPO-MANDIBULAR
Fuente: NETTER, Frank H .. Atlas of Human Anatomy. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.
ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR
 ARTICULACIÓN TEMPO-MANDIBULAR
Fuente: NETTER, Frank H .. Atlas of Human Anatomy. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

VEA MAS

Articulaciones sinoviales
Columna vertebral
Hombro
Codo
Puño
Cadera
Rodilla
Tobillo