Combo Gratuito - COVID-19

Temos o compromisso com a educação, por isso estamos liberando o material rico sobre o Sistema Cardiovascular, contendo Apostila, Banco de Questões e Palavras cruzadas. Receba AGORA no seu e-mail.

RODILLA

O Complexo do Joelho localiza-se na transição entre a coxa e a perna e é considerado a mais complexa articulação do corpo humano.

O Joelho é primariamente uma articulação sinovial do tipo gínglimo (em dobradiça).

Além de todas as estruturas contidas em uma articulação sinovial, a articulação do Joelho contem amortecedores extras, sob a forma de blocos de cartilagem.

O joelho é a denominação dada a um complexo articular formado pelas:

– articulação tibiofemoral medial

– articulação tibiofemoral lateral

– articulação femoropatelar

Articulação do Joelho

Superfícies Articulares da Articulação do Joelho

As faces articulares da articulação do Joelho são caracterizadas pelo seu grande tamanho e suas formas complicadas e incongruentes. O fêmur inclina-se medialmente no joelho, enquanto a tíbia está quase vertical.

A fíbula não está envolvida na articulação do joelho.

Articulación Tibiofemoral Medial é formada pelo côndilo medial do fêmur e o côndilo medial da tíbia, ou platô tibial medial. A Tibiofemoral Lateral é formada pelo côndilo lateral do fêmur e o côndilo lateral da tíbia, ou platô tibial lateral. A Femoropatelar é formada pela face patelar do fêmur e pela porção articular da face posterior da patela.

O complexo funcional do joelho é relativamente fraco mecanicamente em virtude das configurações de suas faces articulares. A estabilidade da articulação do Joelho depende:

– Da força e ações dos músculos adjacentes e seus tendões

– Dos ligamentos que conectam o fêmur e a tíbia

Componentes da Articulação do Joelho

Cápsula Articular:

A cápsula articular é um tecido conjuntivo que se fixa nos ossos envolvidos na articulação, mantendo-se conectados. No caso da articulação do joelho, ela é reforçada por retináculos e ligamentos.

Em termos de posicionamento, a cápsula articular do joelho tem sua inserção proximal no fêmur, inserção distal na tíbia e inserção anterior na patela.

A cápsula articular é reforçada posteriormente por músculos e pelos ligamentos poplíteo oblíquo e arqueado. Medial e lateralmente, a cápsula inicia-se proximalmente acima dos côndilos femorais, e continua distalmente até as margens dos côndilos tibiais. Os ligamentos colaterais reforçam a cápsula medial e lateralmente. Anteriormente, a patela, o tendão do músculo quadríceps femoral superiormente e o ligamento da patela inferiormente completam a porção anterior da cápsula articular. As porções anteromedial e anterolateral da cápsula são denominadas de retináculo extensor ou retináculos medial e lateral da patela.

Cápsula Articular do Joelho

Membrana sinovial

A membrana sinovial é uma membrana que reveste internamente a cápsula articular. Ela está aderida à parede interna da membrana fibrosa da cápsula articular, exceto posteriormente, onde a membrana sinovial invagina anteriormente, seguindo o contorno da fossa intercondilar do fêmur.

A membrana sinovial invaginada adere-se ao aspecto anterior e aos lados dos ligamentos cruzados anterior e posterior. Isso faz com que os ligamentos cruzados anterior e posterior estejam contidos dentro da cápsula, mas não dentro da membrana sinovial.

A principal função da membrana sinovial é produzir e liberar o liquido sinovial para a cavidade articular.

Líquido Sinovial

Membrana sinovial secreta o Líquido Sinovial, que forma fina camada sobre as superfícies, no interior da cápsula articular. O líquido tem característica viscosa, transparente ou amarelada, foi assim chamado por ser a aparência e consistência similares às claras de ovo crua.

O liquido sinovial é formado por ácido hialurônico e liquido intersticial filtrado do plasma sanguíneo. Suas várias funções incluem reduzir o atrito por lubrificar a articulação, fornecer nutrientes ao condrócitos da cartilagem articular e retirar os restos metabólicos dos mesmos. O líquido sinovial também contém células fagocitárias, que removem microrganismos e os residuais resultantes do uso e desgaste das articulações. Quando a articulação sinovial fica imobilizada por certo tempo, o liquido mais viscoso, voltando ao seu estado mais fluido com o uso da articulação.

Membrana Sinovial do Joelho

A seguir apresentaremos os ligamentos e os meniscos, como forma didática, dividiremos em 2 grupos.

Ligamentos Extracapsulares da Articulação do Joelho

A cápsula fibrosa é reforçada por cinco ligamentos extracapsulares

  • Ligamento rotuliano
  • Ligamento colateral fibular
  • Ligamento colateral tibial
  • Ligamento poplíteo oblicuo
  • Ligamento Poplíteo Arqueado
Ligamento rotuliano

É a porção central do tendão do quadríceps femoral que se continua da patela até a tuberosidade da tíbia. É um forte feixe ligamentoso, achatado, com cerca de 8 cm de comprimento.

Ligamento rotuliano

O ligamento patelar é o ligamento anterior da articulação odo joelho, ele se funde com os retináculos medial e lateral da patela, que são expansões aponeuróticas dos músculos vasto medial e lateral e da fáscia profunda suprajacente. Os retináculos sustentam a cápsula articular do joelho lateralmente.

Retináculos Patelar Medial e Lateral

A face posterior do ligamento patelar está separada da membrana sinovial por um grande coxim gorduroso infra-patelar e da tíbia por uma bolsa sinovial.

Coxim Infrapatelar

Movimento do Ligamento Patelar

Ligamento colateral tibial (LCT)

É uma faixa achatada, larga e forte que se estende do epicôndilo medial do fêmur até o côndilo medial da tíbia.

Ligamento Tibial

O Ligamento Colateral Tibial apresenta 2 planos:

Planosuperficial: femorotibial

Ligamento Colateral Tibial - Plano Superficial

Plano profundo:

3 tipos de fibras:

– Meniscofemoral

– Meniscotibial

– Tibiotibial

Ligamento Colateral Tibial - Plano Profundo

As fibras profundas do LCT são firmemente presas ao menisco medial.

Ligamento colateral tibial

Impede o movimento de afastamento dos côndilos mediais do fêmur e tíbia (bocejo medial).

O Ligamento Colateral Tibial é mais fraco que o Ligamento Colateral Fibular.

Ligamento Colateral Fibular (LCF)

É um cordão fibroso, arredondado e forte, inserido no côndilo lateral do fêmur e na cabeça da fíbula. O tendão do músculo poplíteo passa profundo ao ligamento colateral fibular, separando-o do menisco lateral.

Ligamento colateral fibular

Impede o movimento de afastamento dos côndilos laterais do fêmur e tíbia (bocejo lateral).

Ligamento poplíteo oblicuo

É uma expansão do tendão do músculo semimembranásceo que reforça a capsula fibrosa posteriormente. O ligamento origina-se posteriormente ao côndilo medial da tíbia e passa supero-lateralmente para fixar-se na parte central da face posterior da cápsula fibrosa.

Ligamento Poplíteo Arqueado

Também reforça a capsula fibrosa posteriormente. O ligamento origina-se da face posterior da cabeça da fíbula, passa supero-medialmente sobre o tendão do músculo poplíteo e espalha-se sobre a face posterior da articulação do joelho

Ligamentos Intra-articulares da Articulação do Joelho

Os ligamentos intra-articulares dentro da articulação do joelho consistem nos ligamentos cruzados e meniscos (cartilagens semilunares). O tendão do músculo poplíteo também é intra-articular durante parte do seu trajeto

Os ligamentos cruzados (do lat. crux, uma cruz) unem o fêmur e a tíbia, cruzando dentro da cápsula articular da articulação, mas fora da cavidade articular sinovial. Os ligamentos cruzados estão localizados no centro da articulação e cruzam um com o outro obliquamente como uma letra X, fornecendo estabilidade para a articulação do joelho.

Ligamento Cruzado Anterior – (LCA)

É o mais fraco dos ligamentos cruzados.

Tendo como medidas:Ligamento Cruzado Anterior

  • 38 mm e comprimento
  • 11 mm de largura

Origina-se da área interecondilar anterior da tíbia , imediatamente atrás da fixação do menisco medial. Ele se estende para cima pra traz e lateralemente, para fixar-se à parte posterior do lado medial do côndilo lateral do fêmur.

Ligamento Cruzado Anterior

O LCA é formado por duas bandas:

Anteromedial mais tenso durante o movimento de flexão do joelho com o pé fixo.

Posterolateral mas tenso durante o movimento de extensão do joelho om o pé fixo.

Bandas do Ligamento Cruzado Anterior

Sua característica funcional é, estar frouxo quando o joelho é fletido, e tenso quando está  completamente estendido.

Apresenta um suprimento sanguíneo relativamente escasso.

Función: impede o movimento de deslizamento anterior da tíbia ou deslizamento posterior do fêmur (Movimento de gaveta anterior), além da hipertensão do joelho.

El Mecanismo de Lesão do LCA mais comum consiste da combinação do Joelho semifletido + Valgo dinâmico do joelho + Pé fixo no solo. Frequentemente durante a aterrissagem, após um salto ou em movimentos rápidos de mudança de direção (pivô).

Ligamento Cruzado Posterior (PCL)

O LCP é o mais forte dos ligamentos cruzados, sendo menos oblíquo  com algumas fibras mais curtas.

Apresenta como medidas:Ligamento Cruzado Posterior

  •  38 mm de comprimento
  • 13 mm de largura

Origina-se da área intercondilar posterior da tíbia, o ligamento passa a cima e à frente do lado medial do ligamento cruzado anterior para fixar-se na parte anterior da faca lateral do côndilo medial do fêmur.

Ligamento Cruzado Posterior

O Ligamento cruzado posterior é estirado durante  a flexão da articulação do joelho, impedindo o deslocamento anterior do fêmur sobre a tíbia ou o deslocamento posterior da tíbia sob o fêmur. Também ajuda a impedir a hiperextensão do joelho.

Meniscos

São placas semilunares de fibrocartilagem situadas na face articular da tíbia e atuam como absorventes de choques.

Meniscos

Características:

As faces proximais são lisas e côncavas em contado com a cartilagem articular do fêmur.

As faces distais são lisas e achatadas   repousam na cartilagem articular da tíbia.

Os meniscos são mais espessos nas suas margens externas e afilados nas margens internas, que são livres e  mais finas.

Meniscos

Os meniscos são firmemente fixados nas suas extremidades às áreas intercondilares da tíbia.

As margens externas fixam à cápsula fibrosa da articulação do joelho.

El ligamentos coronários são fibras capsulares que se fixam nas margens dos meniscos até os côndilos da tíbia

Funções dos Meniscos:

  • Preenchimento
  • Estabilização
  • Absorção de Impacto
  • Aumento da Área de Contato
  • Auxiliar de Lubrificação
Vascularização dos Meniscos

A zona periférica é vascularizada por alças capilares provenientes da cápsula fibrosa e da membrana sinovial, suas regiões interiores são AVASCULARES.

Vascularização dos Meniscos

3 ZONAS:

  • Zona Vermelha
  • Zona Amarela
  • Zona Branca

Vascularização dos Meniscos

El Ligamento Transverso do Joelho, faixa fibrosa delgada que une-se as margens anteriores dos meniscos, permitindo que movam juntos durante os  movimentos do joelho.

Ligamento Transverso do Joelho

Os meniscos deslizam e se deformam durante o movimento da articulação do joelho para permitir uma adaptação mais adequada das superfícies articulares do fêmur e da tíbia,

Menisco medial

É em forma de “C” mais largo posterior do que anteriormente.

Inserción:

Corno anterior se prende na área intercondilar anterior da tíbia e o corno posterior se fixa na área intercondilar posterior da tíbia

Menisco medial

O menisco medial adere firmemente a face profunda do Ligamento Colateral Tibial.

Menisco medial

Menisco Lateral

É quase circular com uma largura uniforme. O menisco lateral é menor e mais livremente móvel do que o menisco medial.

Inserção:

Corno anterior estar inserido na frente da eminência intercondilar da tíbia (área intercondilar anterior) e o corno posterior na atrás da eminência intercondilar da tíbia  (área intercondilar posterior da tíbia).

Menisco Lateral

Meniscofemoral

Próximo da sua inserção posterior  sai o ligamento meniscofemoral posterior para o se fixar no côndilo medial do fêmur.

Ligamento Meniscofemoral

VISTA ANTERIOR DE LAS ESTRUCTURAS CONJUNTAS DE RODILLA
 Vista anterior de las estructuras de la articulación de la rodilla
Fuente: NETTER, Frank H .. Atlas of Human Anatomy. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.
VISTA TRASERA DE LAS ESTRUCTURAS CONJUNTAS DE RODILLA
Vista posterior de las estructuras de la articulación de la rodilla
Fuente: NETTER, Frank H .. Atlas of Human Anatomy. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.
VISTA SUPERIOR DE ESTRUCTURAS CONJUNTAS DE RODILLA
 Vista superior de las estructuras de la articulación de la rodilla
Fuente: NETTER, Frank H .. Atlas of Human Anatomy. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

VEA MAS

Articulaciones sinoviales
Cajero automático
Columna vertebral
Hombro
Codo
Puño
Cadera
Tobillo